Evolução do Desktop – 2025

Steven Vaughan-Nichols é jornalista, escreve sobre tecnologia e negócios. Seu trabalho abrange, desde publicações altamente técnicas (IEEE Computer, ACM NetWorker, Byte) a publicações comerciais como na eWEEK, InformationWeek e esta, sobre a “Evolução do Desktop – 2025”, na ZDNet.

O Desktop está passando por mudanças, mas como será que ele vai se parecer daqui a cinco anos? Eis o que vejo na minha bola de cristal (um tanto rachada) referente à evolução do Desktop até 2025.

Eu digo que, gostando ou não, o futuro do computador pessoal está na nuvem. Ou, pelo menos, essa é minha opinião sobre a iniciativa da Microsoft com o Windows Virtual Desktop. Mas como será isso na prática? Deixe-me pegar minhas cartas de tarô e contar o que encontro.

O modelo de desktop como serviço (DaaS) realmente está chegando. Caramba, já está aqui. Os Chromebooks do Google dominam o setor educacional. Desculpe, Apple; Você teve sua chance e perdeu. Também tenho notado cada vez mais Chromebooks com recursos apenas para negócios, como teclados numéricos de tamanho normal. Entre esses, estão o mais recente HP Chromebook 15 e o Acer Chromebook 715. Eles se destinam a contadores que usam o QuickBooks online, e não a crianças fazendo seu dever de casa.

Microsoft mudando de rumo?

Algumas pessoas me dizem que a Microsoft nunca abandonaria o sistema operacional tradicional de desktop. Sério? Assim como não substituiria o Office lucrativo pelo Office 365, não é? Bem, eu odeio dizer, mas hoje em dia a Microsoft quer que você compre o Office 365 ao invés do Office 2019. Ah, e se você ainda estiver executando o Windows 7, receberá patches de segurança do Office 365 nos próximos anos. Quanto às outras versões do Office, a Microsoft diz que, se o “problema for o resultado da combinação do Office e de um sistema operacional não suportado (que será o Windows 7 após 14 de janeiro de 2020), o problema também não será suportado”.

Sim, acho bem claro para onde a Microsoft quer que você vá.

No começo, isso será uma jogada de negócio. Nenhuma surpresa até aí. A Citrix vem ganhando dinheiro com sua linha de desktop virtual há anos. Mas, até 2025, a Microsoft também empurrará usuários domésticos nesta direção.

Pense nisso. Os serviços são mais rentáveis ​​para a Microsoft do que os produtos. E quando se trata de usuários domésticos, qual sempre foi o principal custo para a Microsoft? Ding ding ding! Afinal, suporte técnico. Então, com o que você prefere lidar? Todos os seus usuários mais desafiados tecnicamente em uma plataforma de controle centralizada ou meia dúzia de versões independentes diferentes? Eu sei qual escolheria se fosse do setor financeiro da Microsoft.

A tecnologia proporciona

As pessoas costumam me dizer que o DaaS não acontecerá porque nunca vai funcionar em áreas rurais. Mas, deixando de lado o fato de que os ISPs sempre entregaram aos habitantes do país o caminho mais curto, as coisas estão mudando para expandir o alcance da banda larga.

A internet dos anos 202x não será a mesma que estamos acostumados agora. Os ISPs estão enfrentando novos modelos sem fio de provedores 5G e ISPs de órbita baixa da terra como Starlink, OneWeb e Project Kuiper).

A T-Mobile já está implantando 5G de espectro de 600MHz. Ele jamais terá as velocidades insanas prometidas pelo mmWave, mas fornecerá banda larga de 20 Mbps para a maior parte do país, e isso é mais do que suficiente para o DaaS. Se você precisar de mais, os ISPs da LEO fornecerão velocidades de mais de 100 Mbps.

E quanto aos jogadores? No PC, eles se tornaram um nicho de mercado. Quer jogar? A Microsoft ficará feliz em vender um Xbox para você. Além disso, agora que o Google está explorando jogos de alta velocidade com a Stadia, espero ver outros seguindo seus passos em direção a um modelo de jogo mais voltado para streaming.

Investimento ou opensource?

Se você deseja um computador tradicional, terá realmente apenas duas opções: um caríssimo Mac ou um desktop Linux. (Quão caro é caro? Com ​​a Apple, o céu parece ser o limite. Dessa forma, do jeito que as coisas estão indo, eu não apostaria contra a Apple tentando nos vender um Mac Pro de US$ 100.000).

Sou um grande fã de Linux – costumava gerenciar um site chamado “Linux Desktop” – mas o desktop Linux tem problemas. O mercado está fragmentado e nenhuma empresa está realmente defendendo o desktop Linux. Isso pode estar mudando. A Canonical está oferecendo mais suporte por trás do seu Ubuntu. E todos os desenvolvedores de desktops Linux estão se unindo à entrega de aplicativos de desktop Flatpak e Snap for Linux.

Em suma, o que tudo isso significa é que, até 2025, espero que a maioria dos PCs de escritório estejam executando o Windows como um serviço. Também acredito que uma minoria substancial de usuários domésticos executará o Windows fora da nuvem. Os Macs continuarão sendo produtos de alta qualidade para seus fãs dedicados. E o Linux, se seus desenvolvedores continuarem a encontrar um ponto em comum, finalmente obterá 10% do mercado de desktops.

Traduzido e adaptado de Computer World. Desktop 2025. VAUGHAN-NICHOLS, Steven. Disponível em: <https://www.computerworld.com/article/3510465/desktop-2025.html>. Acesso em 19 dez. 2019.

Gostou deste artigo? Veja também “Discada à 5G: história da Internet“.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *